segunda-feira, 2 de julho de 2007

No princípio eram as trevas

Em janeiro deste ano de 2007, conversava com a Fabiana (minha namorada, se é que assim devo chamá-la, pois moramos juntos já há dois anos) sobre minha intenção de morar no exterior. Pensava em ir pra Europa, buscar oportunidades de crescimento profissional, estudar, conhecer uma outra cultura e um outro continente. Imaginava que a Inglaterra fosse um bom destino, já que minha habilidade com a língua inglesa facilitaria a guerra.

Era só um devaneio, uma proposição assim solta no ar. Afinal, podemos nos propor isso - somos um casal jovem, ainda sem filhos, com curtas mas intensas experiências profissionais, academicamente bem qualificados; nada teríamos a perder senão alguns anos de carreira profissional, se não lográssemos êxito em adaptar-nos, prosperarmos e sentirmo-nos felizes nessa nova vida.

Num belo dia na praia, compartilhando essa idéia com um grande amigo, ele me sugeriu o Canadá como destino, e me recomendou estudar a respeito daquele país. Foi o que fiz.

Ficamos encantados pela Canadá - sua multiculturalidade, suas belezas, seus indicadores sociais, sua pujança econômica, suas perspectivas.

É um país economicamente sintonizado aos EUA, a maior potência econômica do mundo, mas completamente distante da xenofobia e mania de superlativo dos americanos. É um país culuralmente sintonizado com a Europa: a começar, o Chefe de Estado do Canadá é a Rainha da Inglaterra! Metade do país fala francês, e a parte que fala inglês o faz com acento britânico!

Muitos mais que esses atributos, é claro, permearam as nossas discussões sobre os nossos planos. Mas um belo dia, decidimos.

Decidimos que queremos viver no Canadá.

Hoje em dia passamos bastante tempo estudando sobre o Canadá e o processo de imigração. Buscando informações que o governo, as entidades, as pessoas, enfim, compartilham com quem quer que as procurem através dessa ferramenta fantástica que é a Internet.

Há poucos dias encontrei, nem lembro exatamente como, o blog do Daniel e da Raquel (www.cravoecanelanocanada.com). Lendo sobre a história deles, os sonhos e as perspectivas deles, e que são comuns aos nossos, percebi que esse compartilhar é fundamental. Obrigado, Daniel e Raquel, por nos proporcionar esse despertar.

Compartilhar aproximas as pessoas, reúne idéias, exprime emoções. Nos faz amigos, companheiros, e provavelmente mais bem sucedidos na nossa caminhada.

Por isso, meus caros, publicamos esse blog. E seja o que tiver de ser!

Um comentário:

Daniel disse...

Primeiro comentário...

Já citei vocês lá no Blog. Adorei o comentário que você deixou lá. É exatamente a mesma sensação que já tive também. É um ciclo que se completa a cada 1 - 2 anos...Novos imigrantes que se apoiam nas histórias, idéias e experiências dos que já passaram por isso.

O Blog é bom pra compartilhar, aprender, fazer amigos...é bom como diário e registro.

É uma iniciativa necessária e nos dá a sensação de já estarmos com algo concreto em relação a imigração. Nós sentimos dentro da comunidade...o estímulo gera mais estímulo...a bola de "neve" que criamos tende a terminar lá, no gelo, na terra dela.

Abraços

Muito sucesso.
Daniel
cravo e canela